Semana#13 – Benfica vs Sporting e a Coreia do Norte

Inicio o artigo com a ordem inversa dos acontecimentos. O Benfica conseguiu na sexta-feira uma vitória bastante folgada contra o Braga. Naquele que se dizia ser o jogo mais difícil até ao final do campeonato o Benfica titubeou no inicio, consentiu uma bola ao poste logo no primeiro minuto mas depois acelerou e cilindrou o Braga com 5 golos. Chateia aquele golinho da treta no final, aquele penalty parvo só para chatear, como os 4-1 do último jogo em casa. É óbvio que o Sporting não podia ficar calado e foi através do Twitter oficial que escreveu “Penalti aos 5-0! A vergonha não tem limites. Nem no dia da verdadeira mentira!”. A meu ver este tipo de situações são disparatadas e tudo aquilo que o futebol não deve ser. Critico o Sporting como criticaria o Benfica se entrasse neste tipo de atitude.

Nunca fui apologista de guiar os meus objectivos olhando para os meus adversários e criando um ódio irracional contra eles, utilizando uma política de bota-abaixo ao próximo sem olhar a meios. Prefiro olhar para mim e perceber onde posso melhorar tentando superar-me a mim e consequentemente ao adversário. Ser melhor!
Mas ser melhor sem falar dos outros, ser melhor olhando apenas e só para mim (ou para a minha equipa). São este tipo de comentários e situações que cada vez mais estragam o futebol e afastam adeptos (não admira que estádios cheios seja coisa que o Sporting não conhece, excepto quando vai à Luz).
panfleto do novo concurso do Sporting contra o Benfica

Mas a estupidez do Bruno de Carvalho e quem o apoia não fica por aqui. Proibir os funcionários do clube de usarem roupa e calçado vermelhos e o lançamento de um passatempo que premeia as melhores frases que contenham “eterno rival”, “penalti” e “cartão vermelho” foram as outras duas irracionalidades do irracional que é o Presidente do Sporting.

Fiquei também muito triste com a atitude dos adeptos do Braga. No minuto de silêncio em nome do ex-jogador do Sporting e internacional Português, Fernando Mendes, falecido durante a semana, enquanto 61000 pessoas respeitavam um bom jogador, atleta que dignificou o clube onde jogou e a camisola da selecção nacional, do lado do Braga ouviam-se cânticos e assobiadelas. A morte quando chega toca a todos e não há cores, países ou clubes! Lembrem-se disso…

Voltando às quatro linhas e após a vitória do Braga segue-se o todo-poderoso Bayern. Mas aí serão outros 500.
Se o Benfica cair no erro de jogar à defesa tentando-se fechar lá atrás corre o risco de ser cilindrado de forma brutal. Basta olhar para o que acontece com a Juventus que conseguiu marcar e segurar o resultado enquanto jogou ao ataque mas depois, quando desceu no campo o Bayern tomou conta do jogo e deu a volta ao resultado. Não estou à espera de uma vitória, muito menos na Allianz Arena, mas espero que o Benfica enfrente o Bayern sem medos mas também com muita humildade.

Por cá fiquei chocado com o chumbo do PSD e CDS ao voto de condenação à prisão dos activistas angolanos. Do PCP já se esperava mas… o PSD? Não há nada que justifique esta posição. No mínimo a abstenção por não acharem ser da nossa competência interferir na política interna de outro país soberano. Agora… votar contra? Está tudo doido.

“Preocupem-se com a falta de dinheiro no SNS e não com a eutanásia”
Passei por esta afirmação feita por alguém na feed de noticias e não parei para ler mas acabei por ficar a matutar nisto. Parece que foi a recém eleita bastonária da Ordem dos Enfermeiros a proferir tal afirmação e eu não poderia estar mais de acordo. Os motivos para o tema da eutanásia vir agora à baila já expliquei em artigos anteriores e no meu “vlog” mas cabe à sociedade em geral ignorar essas cenouras que nos tentam meter à frente dos olhos para nos levar para um lado e olhar para onde realmente interessa. Num momento em que cirurgias são canceladas por falta de material anestésico ou de sutura eu penso que a Eutanásia não é o tema mais urgente a discutir. É sim aquele que neste momento dá jeito discutir a certas e determinadas pessoas que se movem nas sombras dos corredores do Poder.

Nas primárias americanas, Donald Trump deu uma grande alfinetada contra quem pratica aborto. Houve quem dissesse que seria o fim dele mas, volto a repetir que apelando aos extremismos nesta fase, apesar de haver muita gente a favor do aborto há tambem muita gente contra daí que ele deixou os pró-aborto para outros candidatos sabendo que ia ganhar muito mais se cativasse os que são contra o aborto. São estes que estão mais dentro do seu “raio de acção”, da sua população alvo. Nos EUA fazem-se campanhas como não se fazem em mais nenhum lado, sobretudo no que diz respeito ao estudo da opinião da população para definir o “target” que queremos atingir.

O meu amigo Abel Castro, no seu vlog, referiu as constantes ameaças da Coreia do Norte que alegadamente tem feito ensaios nucleares e lançamentos de misseis de longo alcance com capacidade para transportar ogivas nucleares. Sim, eles são loucos mas sinceramente duvido que sejam assim tão perigosos como tentam pintar. Como prova acho que basta conferirem esta noticia. E como esta há muitas mais que são passadas para “consumo interno” e fazerem com que uma população oprimida siga de forma cega o seu líder sem contestações de maior. Ainda assim é sempre algo a ser acompanhado.

Para a semana fica a questão: A procriação medicamente assistida deve servir apenas para situações infertilidade ou outras doenças ou também ser colocada ao serviço de casais de mulheres homossexuais e mães que não queiram arranjar um homem?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *